Os Benefícios da Dieta Carnívora

Uma alimentação baixa em carboidratos e baseada em alimentos de origem animal é muito comum em populações ancestrais (como os inuits das regiões árticas), que são notórios pela baixa incidência de doenças crônicas e pela excelente saúde.

Ultimamente, a dieta carnívora (também chamada de dieta zero em carboidratos) está ganhando bastante destaque e as pessoas estão seguindo por escolha!

Por quê? Por muitas das mesmas razões que as pessoas seguem uma dieta low carb ou cetogênica: perda de peso, clareza mental, menos problemas digestivos e uma abordagem simples de comer que lhes permitam consumir alimentos de que gostam. 

Resultados na Saúde Física e Mental

E se eu lhe dissesse que, ao comer nada além de carne e outros produtos de origem animal - sem frutas, vegetais ou alimentos vegetais de qualquer espécie - você pode:

  • Perder gordura;
  • Se prevenir e até curar diabetes tipo 2; [1]
  • Aumentar seus níveis de testosterona;
  • Construir mais músculos e melhorar seu desempenho atlético;
  • Resolver problemas digestivos como inchaço, gases e constipação;
  • Superar a depressão, fadiga, dores nas articulações e outras doenças.

É exatamente isso e muito mais que acontece quando você segue a dieta carnívora, que envolve comer apenas produtos de origem animal.

Se você pesquisar online e ler as experiências das pessoas com a dieta carnívora, encontrará milhares de histórias de sucesso.

O Impacto de Remover Alimentos Inflamatórios

Embora desistir de todos os alimentos vegetais pareça um grande passo, o ato remove instantaneamente quase todos os alérgenos e antinutrientes que podem causar problemas de saúde e desconforto para muita gente, e, como nas dietas cetogênicas, a falta de carboidratos por si só pode oferecer uma série de vantagens.

Os benefícios potenciais da dieta carnívora são muitos para listar aqui, mas incluí os mais importantes abaixo.

Confira os 13 Maiores Benefícios da Dieta Carnívora

Existem ao menos 13 razões principais pelas quais as pessoas seguem a dieta carnívora:

1. Perda de Peso, por Reduzir o Açúcar no Sangue

Mas comendo só carne? Não vou engordar? Fica tranquilo, isso é bem improvável. 

Como acontece com a dieta low carb ou cetogênica, não consumir carboidratos mantém o açúcar no sangue sempre baixo. Como você não recebe picos de insulina, seu corpo não armazena calorias como gordura corporal. 

Estudos mostram que as principais causas de ganho de peso incluem:

  1. Insulina persistentemente elevada, bloqueando a gordura corporal no modo de armazenamento; 
  2. Comer alimentos processados ??que eliminam mecanismos inatos de saciedade, fazendo com que você coma mais do que precisa.

Quando os níveis de insulina caem, você perde gordura corporal como combustível. 

Além disso, as limitações do que você pode comer, principalmente de carboidratos, ajuda a evitar o consumo excessivo de calorias.‍

2. Reduz a Inflamação, por Cortar Alimentos Inflamatórios 

De acordo com alguns veganos, os alimentos animais ricos em gordura promovem a inflamação tanto quanto fumar. A verdade, no entanto, é que eles reduzem. 

Um estudo de 2013 comparou quem faz dieta com alto teor de gordura e baixo carboidrato com quem seguiu uma dieta com baixo teor de gordura e alto carboidrato. As calorias foram restritas em ambos os grupos.

Resultado:  após 12 semanas, quem consumiu alto teor de gordura apresentou marcadores mais baixos de inflamação sistêmica. Os pesquisadores concluíram que comer com alto teor de gordura pode ser mais benéfico para a saúde cardiovascular. [2] 

Sim, os vegetais também são inflamatórios

É importante ressaltar também que comer plantas pode desencadear inflamação.

Vegetais contêm antinutrientes, como lectinas, ácido fítico e glúten, que impedem que os animais que os comam façam sua digestão de forma eficaz. São mecanismos de defesa naturais das plantas.

Esses compostos são encontrados em muitos vegetais, incluindo soja, trigo, milho, aveia, tomate, maçã, cerejas, batatas, cenouras, abobrinha e muitos outros.

A carne não contém nenhum desses compostos; portanto, ao comer apenas carne, você evita com facilidade alimentos e substâncias que desencadeiam reações indesejadas.

Há evidências de que algumas pessoas têm reações negativas a certos alimentos, incluindo certos tipos de carboidratos (FODMAPs), como grãos, feijões, laticínios e até algumas frutas, e que pessoas com doenças autoimunes podem se beneficiar ao evitar o glúten. [3], [4]

Não basta apenas comer as coisas boas. Você também se beneficia evitando as coisas ruins, como açúcar, grãos, legumes ricos em amido, frutas com alto teor de frutose e óleos vegetais.‍

3. Aumenta a Testosterona

A testosterona é um hormônio esteroide, um mensageiro químico que dá ordens às células e responsável pelo desenvolvimento das características sexuais masculinas. 

As mulheres também produzem testosterona, geralmente em quantidades menores. Apesar de ser um hormônio sexual masculino, também contribui para o desejo sexual, a densidade óssea e a força muscular das mulheres.

Depois dos 30 anos, a testosterona cai significativamente a cada década que passa, e os homens experimentam essas quedas com mais intensidade do que as mulheres.

Quando se trata de dieta carnívora e testosterona, por ter todas as gorduras saudáveis, a dieta é incrivelmente rica em colesterol. E para a testosterona, isso é maravilhoso. [5]

Dietas ricas em gordura aumentam os níveis de testosterona. Um estudo no American Journal of Clinical Nutrition constatou que homens que seguiram uma dieta rica em gorduras e com poucas fibras por 10 semanas tinham testosterona total 13% maior do que indivíduos que ingeriram pouca gordura e fibras. [6]

O que encontramos nas carnes de gordura, proteína, vitamina D3, zinco e vitamina A ajuda a aumentar os níveis de testosterona, o suficiente para notar um impacto significativo no ganho muscular, na perda de gordura e no aumento do libido. [7][8],[9]

4. Melhora a Digestão

Mas espera aí, as fibras não são essenciais para saúde digestiva? Nem de longe! 

Um estudo de 2012 no World Journal of Gastroenterology investigou os efeitos da redução da ingestão de fibras em pessoas com constipação crônica - oposto do que a maioria dos médicos recomendaria. 

Os indivíduos foram instruídos a não consumir nenhuma fibra por duas semanas. Em seguida, foram autorizados a aumentar a ingestão ou seguir uma dieta rica em fibras. Resultado: a maioria estava indo tão bem sem fibras que escolheu continuar no plano sem fibras. O estudo durou seis meses. [10]

Aqueles que ingeriram pouca ou nenhuma quantidade de fibra notaram melhorias significativas em seus sintomas, incluindo redução de gases, inchaço e esforço. Além disso, aqueles com fibra zero aumentaram a frequência dos movimentos intestinais!

E de novo, os mecanismos naturais de defesa que as plantas contêm para dissuadir os predadores causam inchaço, gases e outros problemas digestivos. 

Lectinas, glúten e ácido fítico, encontrados em frutas, verduras, feijões, grãos, nozes e sementes, podem contribuir para a inflamação e síndrome do intestino irritável, intestino permeável e muito mais. 

A dieta carnívora pode assim ajudar a tratar a constipação, melhorando os movimentos intestinais e reduzindo inchaço e gases.

5. Melhora a Saúde Mental, Energia e Humor

Se você estiver familiarizado com a dieta cetogênica, sabe como ajuda a melhorar o funcionamento do cérebro e a aumentar o foco e a clareza mental. A carnívora faz o mesmo, por  também ser cetogênica.

As proteínas são consideradas nutrientes construtores, ou seja, influenciam hormônios e anticorpos e atuam diretamente nos nossos neurotransmissores cerebrais, afetando nossos pensamentos e emoções. 

Aumentando as cetonas, os super combustíveis do cérebro

Seu fígado produz cetonas a partir de ácidos graxos quando os níveis de glicose e insulina são baixos. Elas têm mais ATP por grama do que glicose e levam a um uso mais eficiente de energia. Por que você submeteria seu cérebro à glicose quando pode alimentá-lo com cetonas de alta octanagem? [11]

Em uma dieta muito baixa em carboidratos, até 70% do cérebro pode ser alimentado por cetonas. O restante pode ser alimentado pela glicose produzida no fígado.

Além disso, a dieta carnívora fornece quantidades abundantes de zinco, DHA, B12, ferro e B6, cujas deficiências estão todas associadas à depressão.

Dietas com pouco carboidrato ou cetogênicas melhoram a memória em adultos mais velhos, ajudam a reduzir enxaquecas e até reduzem sintomas de Parkinson.

6. Ajuda a Acne e sua Pele 

Nos países ocidentais, estima-se que 90% dos adolescentes e 50% de quem tem de 20 a 30 anos sofrem de acne. Por outro lado, é muito raro em muitas culturas que seguem dietas tradicionais.

A acne não é natural. É uma doença da civilização ocidental. Um estudo de 2002 descobriu que 0 em 1.200 habitantes das ilhas Kitavan da Papua-Nova Guiné tinham acne. [12]

Níveis mais altos de insulina e hormônios relacionados podem piorar a acne e, como vimos acima, a carnívora reduz os níveis de insulina.

Além disso, a carnívora pode ajudar com a inflamação e fornece quantidades abundantes de nutrientes importantes para a pele como Vitamina A, DHA, Zinco e Vitamina E.

Escolha alimentos ricos em nutrientes ??e com baixo teor de carboidratos, que minimizam os níveis de insulina e reduzem a inflamação, para que você obtenha uma pele mais saudável.

7. Melhora a Saúde Bucal

Quando Aristóteles observou que alimentos doces como figos macios causavam cáries, ninguém acreditou nele.

Mas, à medida que a ciência progrediu, uma coisa foi comprovada: o açúcar causa cáries.

O açúcar tem um impacto muito prejudicial à sua saúde bucal, pois atrai bactérias ruins e diminui o pH da boca. Estudos mostram que um grupo de bactérias nocivas produz ácido na boca sempre que encontram e digerem açúcar.  [13]

Sua boca é um constante campo de batalha de desmineralização e remineralização. No entanto, as cáries ocorrem quando as bactérias da boca digerem açúcar e produzem ácido, o que enfraquece o esmalte dos dentes.

A dieta carnívora elimina o açúcar da sua vida e isso ajuda a restaurar um nível de pH saudável e impede que bactérias se reproduzam causando infecção ou cárie nos dentes. 

8. Simplifica sua Dieta

Comer não precisa ser complicado. A maioria das dietas exige um doutorado em "tornar alimentos de péssimo sabor, comestíveis", sugando nosso tempo e energia. 

Ao contrário de dietas complicadas, a carnívora é muito fácil de implementar. Não há ingredientes ou alimentos sofisticados que você precise adquirir.

O único alimento que você precisa é de carne ou de outros de origem animal. E se você quiser um prato diferente, mas ainda assim simples de fazer, confira o livro de Receitas Carnívoras. 

Não há estresse sobre planejar ou comprar uma dieta carnívora.

9. Reduz a Pressão Arterial

A pressão arterial elevada é um fator de risco para muitas pessoas, especialmente para as de idade avançada.

Várias condições estão ligadas ao aumento da pressão arterial, incluindo acidentes vasculares cerebrais e doenças cardíacas.

Reduzindo e melhorando a resistência à insulina, a carnívora elimina os picos de açúcar no sangue, ajudando a baixar a pressão arterial, reduzindo todos os riscos associados. [14]

10. Diminui os Sintomas da Síndrome Metabólica

A síndrome metabólica pode ser um grande alerta para diabetes e doenças cardíacas.

Seus sintomas incluem obesidade abdominal, pressão arterial alta, níveis elevados de açúcar no sangue em jejum, aumento dos níveis de triglicerídeos e níveis de HDL.

Dietas com pouco carboidrato revertem todos os cinco principais sintomas da síndrome metabólica (Obesidade abdominal, pressão arterial elevada, níveis elevados de açúcar no sangue em jejum, triglicérides elevados, níveis baixos de colesterol HDL “bons”), uma condição grave que aumenta o risco de doenças cardíacas e diabetes tipo 2. [15]

Mesmo uma restrição modesta nos carboidratos é suficiente para reverter a síndrome metabólica em alguns, mas outras precisam restringir ainda mais. Com a implementação de uma dieta carnívora, todos esses sintomas podem ser tratados e melhorados. [16]

11. Diminui os Níveis de Triglicerídeos

Os triglicerídeos são moléculas específicas de gordura, compostas por três grupos de ácidos gordos e a adição de glicerol, que aumentam o risco de doenças cardíacas 

Os níveis elevados de triglicerídeos podem causar várias ameaças à saúde como: risco elevado de AVC e doença cardíaca.

Uma vez que os níveis de triglicerídeos são elevados pelos carboidratos, – particularmente por açúcares simples –  praticar a dieta carnívora vai diminuir esses níveis e por consequência os riscos de desenvolver alguma dessas doenças. [17]

Em dietas com baixo teor de gordura, o consumo de carboidratos geralmente podem ser altos, o que aumentará os níveis de triglicerídeos.

Dietas com pouco carboidrato como a carnívora são muito eficazes na redução dos triglicerídeos no sangue.‍

12. Aumenta o Colesterol Bom

A lipoproteína de alta densidade (HDL) é frequentemente chamada de colesterol “bom”.

Quanto mais altos os seus níveis de HDL em relação ao LDL "ruim", menor o risco de doença cardíaca. [18]

Uma das melhores maneiras de aumentar os níveis “bons” de HDL é ingerir gordura - e as dietas com pouco carboidrato, como a carnívora, incluem muita gordura saudável.

Portanto, não é surpresa que os níveis de HDL aumentem drasticamente em dietas saudáveis e com pouco carboidrato, enquanto tendem a aumentar apenas moderadamente ou até declinar em dietas com baixo teor de gordura. [19]

A dieta carnívora é uma dieta com pouco ou zero carboidrato e  tende a ter alto teor de gordura, o que leva a um aumento dos níveis sanguíneos de colesterol HDL “bom”.

13. Gera Saciedade

A carnívora te ajuda a aumentar a quantidade de proteínas e gorduras consumidas, e isso satisfaz seu apetite por mais tempo e reduz desejos não saudáveis. 

Os desejos podem ser difíceis de controlar, e a melhor maneira de superá-los pode ser impedi-los de aparecer. Para isso, aumentar a ingestão de proteínas é uma excelente saída.

E se você pensa sobre isso, os alimentos que comemos enquanto assistimos filmes, jogados no sofá são geralmente junk-foods que nós continuamos empurrando em nossas bocas. [20]

Os três macronutrientes (gorduras, carboidratos e proteínas) afetam nossos corpos de diferentes maneiras. Estudos mostram que a proteína é, de longe, a mais completa. Ajuda você a se sentir saciado, com menos comida. [21]

Parte do porquê disso é que a proteína reduz o nível do hormônio da fome, a grelina,  e também estimula o peptídeo do hormônio da saciedade, YY, que o faz se sentir satisfeito. [22]

Estudos mostram consistentemente que quando as pessoas cortam carboidratos e comem mais proteína e gordura, elas acabam ingerindo muito menos calorias. [23]

Com o tempo, à medida que você segue a dieta, ela te ajuda a diferenciar o que é fome real e fome psicológica. Nesta dieta, você não pode pegar um saco de chips a qualquer momento que você quiser, ou seja, mesmo sem contar calorias, seu ingestão de calorias é reduzida. 

Muitas pessoas inconscientemente comem menos calorias quando só conseguem comer carne, o que facilita muito a perda de peso. Você terá o hábito de comer apenas quando precisar e de consumir apenas o suficiente para mantê-lo satisfeito. 

Conclusão

Nós, humanos, somos projetados para comer uma dieta à base de carne.

Carne é um alimento saudável.

Sim, isso é contrário ao que nos foi ensinado. Mas seguir as “diretrizes” levou a problemas de saúde epidêmicos como obesidade, diabetes, doenças cardíacas, câncer e demência. 

Com base nos resultados obtidos pelos que seguem as recomendações da pirâmide alimentar, questionar essas “diretrizes” é a única coisa que realmente faz sentido.

Como você pode ver, existem inúmeras mudanças positivas que a dieta dos carnívoros trará seu corpo e sua vida em geral. Acho que você deveria experimentar a dieta e ver por si mesmo se funciona para você como têm funcionado para muitos.

Fonte: https://www.suinoculturaindustrial.com.br/
ESCRITÓRIO CENTRAL
Rua São Pedro, 130-D,
Centro, Chapecó – SC
(49) 2049 0400
FRIGORÍFICO
SC 283, KM 08, Estrada,
Chapecó/Seara – SC
(49) 3319 8200
Mídias Sociais
Newsletter
© 2015 – ECOFRIGO – Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Ipse Marketing Estratégico